Translate

domingo, 23 de outubro de 2016

POEMA DA CATEDRAL


Hoje é uma catedral... 
Mas o poema narra um fato do tempo em que era a igreja matriz de Montenegro...
















IGREJA MATRIZ

Ela entrou na Igreja Matriz,


levou à fronte uma gota de água benta


e fez o sinal da cruz...


Desejou talvez no amor ser feliz...


Só a Deus revelou belos sonhos que alenta...


e a pureza que me seduz!...





Bem queria vê-la assim, tão pura e bela,


mas imagino este momento fascinante!...


Só Deus soube se ela ainda era constante,


mas meu amor há de ser sempre dela!...




Nos seus passos, o acaso pôs os meus,


e ao sair, tão graciosa, da igreja, eu a vi


colhendo uma flor que guardava em si


as respostas aos corações ateus!...





Ela foi o amor a quem eu mais quis!...


Seu olhar tão profundo me perturba e tenta!...


É um anjo em quem busco a luz!...





Eu a perdi num dobrar de esquina,


mas sua imagem guardei pra sempre na retina,


quando ela para mim sorriu!...


No sorriso, atração; no olhar, candura,


seu rosto exprimiu constrangida censura...


e na esquina depois sumiu!...








Cláudio Luiz Sá Brito Machado


Escrito em 31 de agosto de 2005

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEU COMENTÁRIO É MUITO BEM-VINDO!