Translate

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

FRAGMENTOS POÉTICOS


 

Em um livro que contém as obras completas de um jovem e grande poeta fluminense,  falecido precocemente, aos vinte e um anos de idade, - refiro-me a Casimiro de Abreu, - encontrei também suas obras incompletas: seus fragmentos poéticos...
 
Eu bem quisera saber por que alguns poemas seus ficaram inacabados!... O que o poeta tinha mais a dizer e não disse? Ou que segredos de seus sentimentos precisou guardar?... Talvez lhe faltasse ainda, sendo tão moço, a necessária habilidade para bem descrever suas emoções, com o rigor estético que se impunha?...


Casimiro de Abreu
Eu bem quisera saber!...

As obras inacabadas 
de um grande poeta 
têm o encanto e o mistério 
dos vestígios de cultura 
do passado da humanidade!... 
Como os segredos perdidos 
da biblioteca de Alexandria, 
também os fragmentos poéticos 
perderam irremediavelmente 
parte de sua poesia!... 
São quais Atlântida, 
e as cidades antigas 
que para sempre 
ficaram soterradas!... 
Somente nossa imaginação 
pode cogitar 
destes fragmentos de cultura 
que se tornaram lendas!...  
São fragmentos de fatos 
que se perderam para sempre!...
 
Fragmentos poéticos são como um colegial que abandona a escola: nunca se saberá se possuía capacidades para alcançar a perfeição!... São como uma esposa que quer ser  mãe... mas é estéril! São vocações que não se realizam... Uma árvore sem direito ao sol, que definha e morre!...

Mas estes fragmentos, ainda assim, encerram emoções humanas!... Como as ruínas do Coliseu guardam, até hoje, os gritos dos gladiadores, as vozes da platéia, os rugidos dos leões!... Emoções humanas que impregnaram para sempre as pedras que viram a grande ilusão romana!...

Casimiro também foi uma vida que não chegou a seu porto, um poeta que não pode alcançar a plenitude de seu talento inato!... Ele é a própria incompletude de seus fragmentos poéticos!...
 
Fragmentos poéticos estão para sempre condenados ao vazio de permanecerem incompletos, e à falta de sentido das palavras que nunca foram ditas!... 

Mesmo assim, quisera saber o que o poeta tinha a nos dizer!... Pois a Poesia reside nos sentimentos, e prescinde das palavras!... E os sentimentos sempre terão sentido!... 
                     
São para mim os fragmentos poéticos como que um gesto, cujo significado se perdeu no silêncio do poeta...
 
E eu quisera conhecer estes significados!... São amores, paixões, medos, ciúmes... emoções!...
Mas assim como tivemos que nos conformar com a memória do poeta, lerei com carinho seus fragmentos poéticos!...


Cláudio Luiz
Em meados de 2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEU COMENTÁRIO É MUITO BEM-VINDO!